quinta-feira, 14 de maio de 2009

Jesus x Super-homem


“Aquele que é a Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam”. [João 1.10-11]

Cristo nos seus dias não foi um sujeito muito popular, embora fosse ele quem fez todas as coisas, o seu discurso não era fácil de ser digerido.

Prova disto que muitos dos seus discípulos lhe disseram: Dura é essa palavra. Quem pode suportá-la? [João 6.60].

Mas Jesus não se importou quando muitos o abandonarem e continuou a pregar a sua mensagem e ainda disse aos doze discípulos mais íntimos: Vocês também não querem ir? [João 6.67].

Portanto a mensagem não era simpática a maneira de viver daqueles dias, ou seja, Jesus ensinava uma nova maneira de viver que incluía amar os inimigos, dar também a capa, perdoar, andar duas milhas, o menor é o maior, e outras mais que não se encaixavam na maneira de viver daquela época.

Eles na realidade desejavam um Jesus que viesse para subjugar todos em prol dos judeus, os judeus seriam prósperos, não teriam doenças, seriam senhores.

Então planejam a morte do Cristo e o mataram.

Passados dois mil anos e as coisas não mudaram muito.

A igreja fundada por Cristo não se tornou igual a Cristo, mas igual ao mundo. Por quê?

Porque igualmente àquela época todos nos dias atuais querem ser de Cristo para subjugar as outras pessoas, serem prósperos, não terem doenças e serem senhores.

E novamente matamos Cristo, diferentemente deles agora apenas em nosso viver e estamos em conformidade com o mundo.

Porque gostamos daquilo que o mundo gosta, o caminho ou a maneira de viver proposta por Cristo não nos interessa.

Queremos Cristo, mas não queremos a sua maneira de viver.

Não queremos modificar o nosso caráter à semelhança de Cristo, queremos ser protegidos por ele, abençoados por ele, mas vivemos e nos portamos diante do mundo, da sociedade, em conformidade com o modo de viver dos que não querem Jesus.

Queremos vingança e não justiça; não queremos problemas para evitar a solidariedade com aquele que está com problemas; queremos a cura das doenças dos nossos; queremos os nossos filhos sendo divinamente protegidos de todas as coisas porque construir neles um caráter digno é muito cansativo e demanda tempo e paciência.

Na realidade queremos Cristo como um super-homem, que vem nas horas difíceis e nos ajuda, nos livra dos problemas, e depois vai para o céu e nós voltamos a viver a vida em conformidade com o mundo.

Que o Senhor tenha misericórdia de todos nós!

2 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Ola Wilson!
Postei algo nesta linha esta semana.
Inclusive a ideia do heroi. A coisa está no ar mesmo!

Queria convidar você para conhecer o meu blog, o Genizah que horas é pirado e engraçado, horas é exaltado e sério, mas é super do bem e tem como regra levar o Evangelho da Liberdade Verdadeira e a Santa Subversão de Jesus ao mundo egocêntrico e perdido nos seus valores! E, ainda dando tempo, aproveito para tirar uma onda com este pessoal que anda explorando a fé das pessoas e ainda dizendo que são cristãos... Ops!

Por minha vez, já me tornei seu seguidor.

Abraços em Cristo e Paz!

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/

Mayalu disse...

Oi, Wilson,

Vi que vc tem o meu banner em seu blog, e queria agradecê-lo por isso. Gostaria de também ter um banner seu em meu blog, e propor a troca de links.

No mais, meu avô (in memorian), meu pai e meu irmão (in memorian) se chamam Wilson... Belo nome!

Um abraço,

Maya

P.S.: Caso concorde com minha proposta, peço que deixe um recado lá no Blog.